DIVISÃO TÉCNICA DE CORROSÃO E PROTECÇÃO DE MATERIAIS

De acordo com estudos internacionais mais recentes, os custos anuais da corrosão variam entre 3% a 6% do PIB, significando que em Portugal os custos da corrosão podem atingir 5 000 milhões de Euros anualmente.
Dado o elevado impacto que a corrosão tem na economia portuguesa, tornou-se urgente a criação de uma divisão técnica na SPM, com enfoque na corrosão e protecção dos materiais.

MISSÃO

A DTCPM pretende promover o conhecimento, a divulgação e a cooperação nas diferentes entidades do Sistema Científico e Tecnológico (SCT) (Universidades, Laboratórios de Estado, Institutos Politécnicos, etc.) e nas Empresas no domínio da Corrosão e Protecção de Materiais por forma a minimizar os custos da corrosão na economia nacional.

OBJECTIVOS:

A Divisão Técnica de Corrosão e Protecção de Materiais (DTCPM) tem os seguintes objectivos:

GERAIS

Criar uma massa crítica de conhecimento no domínio da corrosão e protecção de materiais que mantenha e aumente a qualidade e a difusão dos conhecimentos actuais, com vista à tomada de:

  1. Consciência dos valores financeiros, económicos e sociais envolvidos;
  2. Medidas concretas de actuação (no mínimo elencar as boas práticas) que permitam reverter os avultadíssimos custos provocados pela corrosão e pelo uso indevido de materiais inadequados a cada situação.

ESPECÍFICOS

  1. Promover o interesse junto de todas as entidades do Sistema Científico e Tecnológico (SCT) pelo estudo e desenvolvimento de técnicas de protecção anticorrosiva e de preservação dos materiais e dos recursos.
  2. Promover a formação através da organização de reuniões, seminários, workshops ou Jornadas no domínio da DTCPM.
  3. Transferir o conhecimento para as Empresas.
  4. Manter coeso e dinâmico o Conselho Técnico-Científico da Revista Corrosão e Protecção de Materiais.
  5. Reunir todos os profissionais, da comunidade científica, das empresas fornecedoras de serviços e de equipamento e os donos de obras, interessados na redução do impacto da corrosão em Portugal.
  6. Desenvolver oportunidades de networking entre sócios.