Dia Mundial da Sensibilização para a Corrosão – Apresentação da DTCPM

Decorreu no passado dia 24 de Abril, no Auditório da Ordem dos Engenheiros, em Lisboa, um
evento dedicado ao Dia Mundial da Sensibilização para a Corrosão e à Apresentação da Divisão
Técnica de Corrosão e Protecção de Materiais da Sociedade Portuguesa de Materiais (SPM).
Este evento foi organizado no quadro da já habitual colaboração entre a SPM e o Colégio de Engenharia de Materiais da Ordem dos Engenheiros.

A corrosão dos materiais, embora sendo um fenómeno natural, tem elevados impactos económicos, ambientais e de segurança. A corrosão pode afectar todos os sectores da sociedade, na preservação de infraestruturas, património arquitectónico, edifícios e monumentos, na garantia da qualidade da água, do ar e do solo, na sustentabilidade dos recursos naturais, na segurança de pessoas e bens e na saúde humana.

Estima‐se que os custos directos da corrosão atinjam 3 a 4% do PIB do nosso País, e que mais de 20% destes custos possam ser evitados através do conhecimento, traduzido na adequada implementação de medidas e tecnologias de controlo, de prevenção e de protecção anticorrosiva.

Na sessão de abertura participaram o Bastonário da Ordem dos Engenheiros, Engenheiro Carlos Matias Ramos e o Secretário de Estado do Empreendedorismo, Competitividade e Inovação, Dr. Franquelim Alves. Foi reconhecida a necessidade urgente de implementação de medidas concretas de actuação que permitam reverter os elevados custos provocados pela corrosão, com particular atenção à manutenção e preservação de edifícios, estradas, pontes, instalações industriais e protecção do ambiente. Estamos numa época em que haverá poucas obras novas, pelo que urge cuidar das existentes.

A Professora Alda Simões (IST) apresentou “A Corrosão, um Problema Transversal” , seguindo-
se “Os 50 anos da Revista “Corrosão e Protecção de Materiais”, pela sua fundadora e directora
durante muitos anos, Doutora Elisabete Almeida (Investigadora Coordenadora do INETI,
aposentada).

A apresentação da “Divisão Técnica de Corrosão e Protecção de Materiais“ foi feita pela sua
Coordenadora, Doutora Teresa Diamantino (LNEG), que salientou os aspectos mais relevantes
de actuação futura:

  • Criar uma massa crítica de conhecimento, no domínio da corrosão e protecção de materiais, que mantenha e aumente a qualidade e a difusão dos conhecimentos actuais, com vista à tomada de consciência dos custos financeiros, económicos e sociais envolvidos e à implementação de medidas concretas de actuação que permitam reverter os elevados custos provocados pela corrosão;
  • Promover a transferência de conhecimento para as Empresas, através da organização de cursos de formação, reuniões, seminários, workshops ou jornadas;
  • Reunir os profissionais interessados na redução do impacto da corrosão em Portugal;
  • Desenvolver oportunidades de parcerias em rede entre associados.

Finalmente, o Engenheiro Carlos Silva, da REN – Rede Energética Nacional apresentou, pela
primeira vez em Portugal, uma proposta do “Plano para avaliação do impacto da corrosão em
sectores alvo da economia portuguesa”. A realização deste estudo por sectores de actividade é
fundamental para o nosso País, à semelhança dos já realizados em Inglaterra e nos Estados
Unidos, e para o qual o apoio governamental é indispensável.

Apresentações:

Corrosão Problema Transversal ASimoes

50 anos da Revista CPM 2013 EAlmeida

Apresentação DTCPM TDiamantino

Avaliação Impacto Corrosão CSilva

EUROCORR 2013 JS Fernandes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.